domingo, 25 de novembro de 2012

Conte até 10



Conte até 10 a raiva passa e a vida fica...
Fazendo coro com o Conselho Nacional do Ministério Publico (CNMP) pela vida e em louvor dela...
Durante séculos vivemos na barbárie onde segundo afirmam os historiadores que a média de vida, durante a idade média dos homens era de 28 anos de idade.
Conquistamos a civilidade e passamos a pensar em direitos humanos, discutir cidadania, a partir da libertação dos escravos um século depois, temos pouco a poco vencido o preconceito racial, e lentamente e ou em breve tempo teremos vencido, o preconceito em todas as suas formas de expressão.
Mas o mundo civilizado devido ao crescimento e a predominância do pensamento capitalista, abraçamos a competitividade, e vemos o outro como opositores, que podem nos ocupar a nossa posição no trabalho, e passamos a nos exigir mais do aproveitamento do tempo, e necessidade de buscar e assimilar mais e mais informação, é exigências sobre exigências...
E para que mantenhamos os nossos queridos e amados, com o minimo de conforto, acabamos cedendo as exigências,  sobrando-nos pouco tempo para o descanso e para viver em família.
Nos levando ao stress, baixando nosso nível de  tolerância, tornando-nos "uma metralhadora cheia de magoas"(utilizando uma frase de Cazuza), pronta para disparar, alguns com o pavio curto e outros sem pavio algum.
Por isso para que não tomemos uma atitude impensada que banaliza e desvaloriza o bem mais precioso: à vida.
Contemos até 10...
Contemos até 10 no transito...
Contemos até 10 no transporte publico...
Contemos até nos dias de folga...
Outro dia enquanto pegava o metro em um sábado a tarde, fora de horário de trabalho e descia na estação Sé, e um Sr. que desembarcava do mesmo vagão tocava no meu ombro pedindo licença para que ele pudesse correr, eu dei licença, ele correu...
Calmamente caminhei desci as escadas e o segui com o olhar, fui ao lado dele na plataforma, ele nervosamente batia as mãos na perna enquanto respirava, descompassadamente , ele olho e viu-me, meio constrangido...
Em seus olhos eu olhei e desejei-lhe uma boa tarde ele sorriu...
Outra vez estava com um amigo no transito e um veiculo o fechou, ele freou e disparou sua "metralhadora de magoas e impropérios..."
Quando parou no semáforo o individuo que tinha o fechado abriu o vidro...
E ele (meu amigo) já pronto para revidar mais uma rajada, de magoas e impropérios e ou outro motorista olhou e disse:
Desculpe-me pelo susto que te dei, pelo quase acidente que causei...
O Sr. está bem?
Ele ficou em choque..
Pois o outro o desarmou...
Desarmou tanto que ele não viu o semáforo abrir e ele despertou de sua surpresa com a buzina de outros carros...
A vida nos exige tanta pressa que muitas vezes, estamos com pressa em dia de descanso, buzinando para a pessoa que buzina para nós, enquanto vamos apenas  para a padaria de carro, ou que nos impede de chegar rápido de casa na padaria e da padaria para casa.
Pare e diga a você mesmo :
Ei você esta de folga.
Pare de correr para lugar nenhum...
Desacelere um pouco...
Respire...
Olhe os edifícios a sua volta....
Olhe nos olhos de uma criança...
Você trabalha em função de sua vida, você não vive somente em função do seu trabalho...
Sua família precisa de você, e você precisa de sua família...
Contar até dez é ação inteligente...
É ação no bem, em seu próprio bem...
Diga sim a paz...
Diga sim a vida...
Diga sim para o amor...
Conte até 10 ...
Quando você conta até dez e controla suas reações, você controla sua vida, quando reage instintivamente revelando a nossa animalidade, colocamos as rédeas de nossa vida nas circunstancias, e ou em mãos alheias...
Agir na paz e pela paz é vencer a si mesmo...
Nossos inimigos não estão fora de nós , e sim dentro...
Amemo-nos semeando a paz em nós...
Conte até 10 sua vida merece...
Conte até 10 a vida do outro merece...
Conte até 10...
Pois Deus conta contigo , para semear o amor que promove a paz no mundo...



quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Vencendo o ciúmes


O ciúmes é filho da insegurança e da ilusão de posse…
Porque afirmo isso, pois sofri deste mal por longos anos de minha vida, e esse texto se desenvolvera a partir do que senti, vivi e venci, não significa que é uma formula ou um remédio que ira curar o ciúmes de outrem, mais que poderá ajudar a compreender a causa curando-as...
Durante muitos anos de minha vida fui cego com ciúmes, além da cegueira de enxergar o que realmente esta a sua volta, o ciumento é um indivíduo muito imaginativo, sobretudo criativo.
O indivíduo ciumento ele sofre mais com o que imagina do que com o que vê…
Quando olho para mim mesmo e tento remontar cenas e rever quadros como se fosse um espectador de mim mesmo, olho e chego a uma conclusão sobre mim, "que atitudes ridículas".
No momento em que o ciúmes consumira e destruíra o meu primeiro casamento, uma amiga que fazia a época faculdade de Sociologia em Fortaleza decidira fazer um trabalho em grupo sobre o Budismo, e souberam que Chagdud Tulku Rinpoche, faria uma palestra em Fortaleza, e lembro-me que tinha feito um pedido em prece que gostaria de entender e encontrar a causa de minha dor, e fui aberto para que pudesse obter respostas…
Rinpouche levou-me a uma unica conclusão para cura do mal que assolava minha vida : desapego...
Porque o desapego? Por que tudo que é material é ilusório e impermanente, ou seja, minha condição de Pai é impermanente, minha condição de filho é impermanente, minha condição de esposo é impermanente, minha condição de emprego é impermanente, casa tudo isso o tempo mudam e as circunstancias mudam também.
E levou-me a pensar profundamente sobre essas informações que durante muito falaram ao meu coração mais foi muito difícil trabalhar essa informações transformando-as em atitudes
Por que  foi difícil?
Ao longo dos últimos milênios na Terra recebemos uma educação machista, onde a mulher deveria segundo algumas religiões ser submissa ao marido, ou seja, que obedecesse e service o seu marido, que o homem é a cabeça da casa.
Isso se revela no "meu" " minha ", meu clã, minha mulher , meu filho, minha casa, meu pai, minha mãe.
Expandir tudo isso para a fraternidade é complicado, pois mudamos o ponto de vista para irmandade, até que sua racionalidade se aposse do entendimento novo embora o fato seja antigo, leva tempo, pois precisa sair do entendimento e compreensão para virar atos...
Eu estou Pai de meus filhos ...
Eu estou filho de meus Pais...
Eu estou esposo ou ao lado de uma irmã, uma companheira...
Se conseguirmos transcender a posse teremos dado um grande passo.
Pois entendo que cada ser é único e dono de seus atos, de suas escolhas e que carrega em si um Juiz interior que esta de posse da lei de Deus, ou seja, fomos presenteado pela divindade com livre arbítrio,  um livre juízo , que nos permite escolher, o que é melhor para nós...
Então temos uma companheira ou um companheiro, ao nosso lado, uma pessoa, uma individualidade, não é um bem que adquiri para o meu prazer e desejos, é uma pessoa que escolheu somar ao meu lado, e que achou que eu estar ao seu lado, somariamos para que juntos pudéssemos conquistar a nossas vitórias...
Inserir isso levou tempo e o que chamo de auto doutrinação, pois existe degraus de entendimento, entender isso, sentir isso ao olhar e compartilhar com quem esta ao meu lado e viver isso de forma lucida.
Esse é o grande laboratório chamado família onde somos chamados a através das experiência nos transformar, e transformar é muito diferente e distante de se conformar.
Pois sentir o sentimento de posse pelo marido, ou o esposo sentir o sentimento de posse pela esposa, e se dizer assumidamente ciumento ou ciumenta é se conformar, o que significa estacionar, no aprendizado evolutivo, não é fácil é difícil é um Leão por dia domando em si mesmo, domando as nossas más inclinações...
Mas a causa do ciumes não é somente o sentimento de posse é o sentimento de insegurança, e o sentimento de insegurança esta ligado a falta de conhecimento de si mesmo, pois o individuo inseguro na maioria das vezes é um individuo que não se conhece, por isso se menospreza achando-se inferior em relação ao outrem...
Mas inferior  por que?
Sofremos com a ditadura da mídia que dita padrão ao homem e a mulher, através das atrizes e atores e modelos, o que em um momento é moda o outro e desuso, ao aceitarmos essa influencia nos permitindo que uma pessoas passe a nos ditar como devemos ser, mascaramos quem somos em nome de quem almejamos, e nunca estamos seguros pois buscamos fora o que esta dentro de nós.
O corpo musculoso do homem de 20 anos hoje não será o mesmo depois de 30 anos, as partes femininas valorizada pelos brasileiros ao longo do tempo sofrerá a ação da gravidade...
Tanto o exterior como o interior mudam através do tempo, mas o que permanecesse acrescentando ao individuo é o que ele entende levando-o a sabedoria, ou seja, as aquisições a nível da intelectualidade que o leva ao desenvolvimento, é aquilo que verdadeiramente e o individuo sente, isso é permanente, já o corpo ele é momentâneo, pois se ele poderá levar a viver um pouco mais de um século mais, com sua morte ele ira se desagregar e tornar-se pó, já o espirito volta a sua vida de origem com o que conseguiu somar de conhecimento e sentimento...
Em nenhum momento quero dizer que ir a academia e praticar exercícios físicos é ruim, muito pelo contrario  precisamos cuidar do veiculo de nosso Espirito, que é muito diferente de viver em função do veiculo, pois o veiculo não é o invivido, o individuo é o controlador do veiculo...
Cada um de nós precisamos nos conhecer, pois conhecendo-nos sabemos de nossos reais valores, e é nos reais valores que devemos agregar a nós...
Esse conhecimento de quem somos, nos leva a amar-mo-nos ..
Assim como quando queremos alguém ao nosso lado, o período de namoro, é o período de conhecer quem naquele momento, desejamos que estivesse ao nosso lado, prestamos a atenção na pessoa como ela age, como ela pensa...
Cada um de nós devemos ser um observador de nós mesmos, olhando-nos com o interesse de conquistamo-nos , parar e olhar sobre o que penso e desejo, e refletir e sentir-se...
O que te convido não é ser Narcisista, achando-se a ultima bolacha do pacote e achando que esta cheio de famintos ou famintas me disputando, mas conhecer-se.
Dizem que Michelangelo  olhava o mármore bruto e dizia que por traz daquele mármore existia uma escultura dentro dele que ele precisaria tirar o excesso...
Podemos olhar no espelho e ver uma pedra de mármore, mas devemos entender que existe uma essência divina em nós que precisamos esculpir, ou tirar o desnecessário para revelar. 
Jesus afirmou segundo a narrativa de João  segundo o evangelho que leva seu nome: "Deus é amor."
Segundo narra a Gênese de Moisés que fomos feito a "imagem e semelhança " de Deus, isso não que dizer que foi o corpo, se Deus é amor, somos amor em essência e este amor precisa se despir do egoismo, ou do ego para chegar ao seu "self" de Jung, que é a sua essência.
Mas é só o egoismo?
O egoismo é a causa de todo o nosso sofrimento...
Pois ele é o pai de todas as nossas dificuldades, para conosco e para com os outros.
Pois o individuo que se ama ele não obriga que as pessoas fiquem ao lado, se ficam, ficam  por opção, não por dó, ou por obrigação ou porque sente-se dono do outro, pois quem se ama gosta da liberdade e do sentir-se livre, e  por prezar este sentimento ele não deseja possuir, ele deseja sentir...
Só quem ama os pássaros sabe compreender que eles cantam ao mundo com alegria e beleza quando estão soltos na natureza...
Só que teve o prazer de viver com Bem Te Vi solto sabe que em dias de chuva ele canta pelas manhãs em louvor e gratidão a chuva que vira durante o dia .
Tive o prazer de crescer no pé da Serra da Cantareira e o Bem Ti Vi cantava e mamãe dizia: "vai chover e o Bem Ti Vi canta louvando a Deus pela chuva " e quando chovia ela dizia sempre "viu meu filho depois da chuva ele canta de novo"  dizendo: "Bem que eu disse, bem que eu disse."
Eu disse certa vez : Mamãe vou fazer uma arapuca e pegar um pra ficar em casa e cantar...
Desencorajando-me ela disse : " Meu filho Deus o criou para que ele fosse livre e louvasse a Deus pela benção da chuva, se o prender além de não cantar, porque ficará triste,  morrerá porque deixará de comer."
E assim cresci vendo uma flor de plastico com água para que pudéssemos ver beija flor, banana fincada em um galho do pinheiro no quintal para ver o sanhaço, e quireras no chão para os pardais e rolinhas , nos visitar quando quisessem e voltar para suas vidas na natureza.
Que tem haver o Bem Te Vi , com o ciumes?
Uma vez já no final do meu primeiro relacionamento com a companheira de então disse-me: " Você quer me aprisionar em uma gaiola , e eu sou como um pássaro  preciso ser livre ou sufoco e morro, não fisicamente mais em minha individualidade."
Aquilo retiniu milhares de vezes na acústica de minha alma, tão grande que o fato de eu não aceitar a liberdade de outrem ao meu lado eu decidi liberta-la de viver ao meu lado, pois estava engaiolando-a.
Isso não foi vencer o ciumes, foi compreender sua nefasta ação na vida da outra pessoa que deveria estar somando comigo.
E durante algum tempo fechei para os relacionamentos para vencer o ciumes , e foi uma grande decepção para mim, e ainda é no sentido de até hoje minha atual esposa sustentar que menti para ela, pois uma coisa que afirmei para ela é que tinha vencido o ciumes...
E não tinha!
Mas o fato era que até eu relacionar-me com ela, eu não tinha me permitido abrir meu interior para uma relação, pois não me compromissava,
Então eu não tinha vencido o ciumes, eu tinha mentido para mim mesmo...
Só que ela foi muito categórica e travou uma luta que aparentemente era contra mim, mas que era em meu favor...
Quando nós chegamos a vida de alguém nós entramos no meio de uma historia e trajetória de vida, assim como a pessoa que soma a nós...
Sendo assim não somos hoje o primeiro namorado e uma pessoa, poderemos talvez ser o ultimo desta existência se caminharmos juntos até o fim desta existência  mas isso não compreende pela eternidade, pois podemos mudar o papel para que depuremos o amor um pelo outro, vindo como irmãos ou como pai e filhos.
Como disse Chico Xavier " ninguém pode voltar atrás e fazer um novo começo, mas podemos começar agora e fazer um novo fim".
Por mais que tenha um inicio de vida a dois, existe sempre uma bagagem que carregamos..
Relacionamento partem e ou  alicerça-se na confiança, ou qualquer chuvinha derruba a construção.
Confiança no outro e em si , confiança e segurança caminham juntas.
Eu não pertenço a ninguém...
Ninguém pertence a mim...
Somos pessoas livres...
E o fato de ela se impor como pessoa, e saber sobre seus valores , não permitia e mostrava-me que não dava vazão para desconfiança e a guerra entre mim era travada.
O confronto era do que eu sabia com o que eu fazia, eu sabia que não era dono mas agia como se fosse..
Até que a vida levou-me para uma viagem que colocou nossos corpos distantes, mas sempre junto esteve nosso sentimento, desejo e planos, pois eram e são sólido e ai eu descobri que tinha realmente vencido o ciumes...
Pois estava alegremente tentando e lutando para por em pratica nossos planos, sem ficar com pensamentos , se ela estava ou não me traindo, se ela ia conhecer outra pessoa melhor do que eu.
E na pratica eu descobri quão bom e lindo é o canto do Bem Ti Vi que é livre na natureza que canta em louvor da vida que fecunda o solo em forma de chuva.
Quão bom é o amor, que ama despretensiosamente...
Pois ele põe aliança não no dedo anelar, mas no coração...

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

A Infância e a maturidade espiritual


Manoel Philomeno de Miranda ( Espirito ) e Francisco Candido Xavier deram-nos entendimentos sobre  as fases de nossa vida em relação aos períodos de reencarnação e de educação do Espirito…
Pensando sobre essas fases e as observando de forma racional levou-me a descrever as características que podemos entender também como fases do entendimento espiritual.
Segundo nos ensinam, a fase primeira da encarnação vai até os sete anos de idade, fase esta que a criança aprende com o que vê,  ou seja , faz leitura de atitudes.
Se pararmos e pensar trazendo para nossa realidade, veremos que esse período da infância espiritual retrata, o momento em que mitificamos outros seres humanos como nós, porque os achamos melhores que nós em alguma coisa, e assim como a criança em tenra idade que elege seu Pai como herói, elegemos nosso sacerdote, palestrante, pastor ou quem julgamos como indivíduo escolhido por Deus.
Esta fase do herói e pai ainda é bem característica e visível no ser humano, a verdade de seu pai é inquestionável, pois ele é "grande" e "forte" enquanto somos "pequenos" e "frágeis", contamos tudo para nosso pai, pois encontramos segurança nele, todo afago é realizador, com ele estamos seguros.
Este é o tipo "guru"!
Conhecemos pessoas que vêem assim sacerdotes,pastores, expositores e palestrantes?
Neste momento infantil de entendimento é o da fé conduzida e ou cega, não interpretamos, apenas copiamos o jeito de falar, vestir, agir…
Vemos este tipo de ralação nas religiões em dias de hoje?
O segundo passo da infância é quando ela vai aprendendo a ler os símbolos  lentamente e ira a começar a questionar pelo simples prazer de questionar, como na infância de nossos filhos,  chamamos de fase dos "por que",   este momento é o de contato com outros, e ou da troca de experiencia, e de seus questionamentos, e pouco a pouco vai aparecendo os "hominhos" ou "mocinhas" que de nariz empinado achando que sabe tudo do mundo, é a descoberta de si .
Quem nunca identificou esta personalidade espiritual infantil, que as perguntas mesmo que sem sentido e sem destino, nos revelava a ânsia do saber, do experimentar do testar, das defesas, e pelo seu clube, os "seus" amigos, amigos para sempre, é neste momento de buscar os "por quês"  da vida que é comum derrapar no materialismo, ou com o fanatismo religioso, pois o seu é o melhor...
É o momento que os meninos jogam um contra o outro em partidas solitárias de futebol e representam times inteiros...
Vemos seres infantis defendendo sozinho ou tentando defender sozinho a responsabilidade  de um grupo, se intitular como o guardador de sua verdade religiosa, é a fase infantil onde encontramos ou "doutores da lei", defendendo a ferro e fogo duas verdades, quando penso nisso lembro-me Dom Quixote de armando para lutar contra os moinhos de vento...
Quando penso em Espiritismo temo ou tenho medo de logo ouvir de um ou outro que vive nessa fase infantil a frase: "Fora de Allan Kardec ou do Espiritismo não há salvação." , Embora seja uma fase infantil demora a passar, olha alguns milênios vivendo essa fase, a interpretação espirita nos leva a um passo a frente desde que eu e você queira.
O terceiro momento da infância espiritual que é o que acredito que vivemos a média do homem atual, é a adolescência, onde todo os ensinos trazido da figura de seus "pais" , através da seu conhecimento adquirido no período do porque  é colocado em cheque com o que o mundo oferece, choca a cultura já existente no amago do ser, a cultura adquirida, e o novo.
Este momento é o da busca da identidade do ser espiritual é marcada em um posicionamento ante a vida é caracterizado pela luta em mudar o mundo externo, é pressionado pelo anseio ao ter futuro é momento de suas decepções, talvez é o momento onde o individuo choca o que a ciência  o traz com a religião, é o momento que o Espirito busca a sua identidade, de se posicionar ante o mundo e perante a si, mesmo é a busca da liberdade que tropeça na responsabilidade, o quase adulto que experimenta a libertinagem tropeçando na responsabilidade de seus atos, momento crucial onde suas escolhas refletiram em experiencia  que só será transposta quando assumir a responsabilidade levando-o a quarta fase...
E o que caracteriza a responsabilidade do Espirito perante o universo?
É o momento em ele assume a sua responsabilidade de si e de sua família, ele passa a compreender que sua família é a sociedade, e sobre sua responsabilidade de ações  refletirão aos seus, a sua família,  o seu objetivo é proporcionar aos seus á felicidade, ele passa a renunciar a si mesmo em beneficio de quem ama, é a bela fase da paternidade, que vai proporcionar meios para os que amam possa se preparar para o enfrentar o mundo, onde trabalho e ação e convergida com amor e por amor...
É o momento de elasticidade do clã para a família universal...
Diria que mais que o sentimento de paternidade é de fraternidade, ou seja somos irmãos, vou dar as mãos aos meus irmãos para que venham comigo, é muito diferente da interpretação que a criança tem do pai, mas é a fase da compreensão da fase infantil de seus irmãos e os conduz pelo exemplo a percorrer esta fase infantil sem traumas e sem querer que a criança cresça de um dia para noite, mas esta apto a amparar e ajudar passar pelo lúdico, esta fase do aprendizado e convivência com seus irmãos leva-o a sabedoria que é a quinta fase...
Esta é a fase do sabe porque viveu diversas e tantas experiencias que levou a compreensão do ontem, do hoje e agora e do que espera no futuro, sem a ansiedade pois descobriu que o futuro vem ao seu encontro segundo a segundo, não significa que o sábio fica parado, mas que ele aproveita  cada segundo para somar e dividir, soma para si e doa a outrem, tornando-o mais rico, quanto mais dá, a sua construção se dá na imortalidade, no que é real , e não no que é impermanente e transitório, descobriu que nada sabe e que tem tanto a saber, por isso ele é sábio...

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Chico Xavier - Uma homenagem de amigo!

É com imensa e inenarravel alegria que divulgamos a escolha de Francisco de Paula Candido Xavier como o maior brasileiro de todos os tempos, premio dado por votação popular no  SBT- Sistema Brasileiro de Televisão.
Desde que tomei contato com o espiritismo foram-me apresentando como obras para estudo André Luiz e Emmanuel, junto com Allan Kardec.
Sua mensagens psicografadas ao primeiro impacto nos chamava a atenção a realidade moral, bebia o conhecimento que passavam por suas abençoadas mãos e atingiam em cheio o nosso coração e abria os horizontes de nossa mente expandindo.
A busca de conhecer sobre o médium Chico Xavier nos levou as suas inumeras biografias, pessoas e muito mais do que o individuo portador de faculdades animicas e mediunicas de excepicional exteriorização, estava a pessoa que serviu e serve de inspiração.
Quando adentrei o espiritismo tinha apenas dezenove anos, em uma cultura social onde o jovem tenta mostrar o que não é, através de suas roupas tentando exteriorizar o que não tem, ao olhar meus país aquele tempo minha mãe e pai semi-analfabetos apesar de seus sentimentos serem superiores, o que contava era a aparencia...
A primeira lição que Chico me dava indiretamente pois nunca o vi pelo menos nesta existencia, era seu inestimavel amor aos seus pais simples como os meus, ele ensinara-me a ver meus pais pela leitura do coração e não pela leitura e exteriorização da transitoria aperencia e do saber humano.
Que não importava o que faziam, e sim como faziam...
No livro Nosso Lar  logo nas primeiras paginas a frase:  " Quando o trabalhador esta pronto, o trabalho aparece.", Isso levou-me a jamais recusar e dizer não ao chamamento do trabalho espiritual, colocando-me a disposição da causa do bem.
Ensinou-me a olhar as pessoas em seus olhos, sem me preocupar em saber seu nome e sobrenome ou sobre  o seu saber humano, ou seja, ver pessoas mais do que como pessoas, mas sobretudo como irmãos, pois perante Deus somos todos iguais, levando-nos a perceber a todos sem distinção.
Que era possivel semear o bem em qualquer condições, e em qualquer lugar.
Durante alguns anos quis ser como ele, tentar imitar seus passos seus atos, mas o tempo mostrou-me quem eu realmente era, ao confrontar o ser que eu idealizava ser, e o ser quem eu realmente era, este encontro foi decepicionante para mim , pois não era tão evoluido como pensava, pois tinha me colocado em meu verdadeiro lugar, e deixou o Chico no lugar dele.
Chico passou a figurar como o companheiro sabio que muito tinha e tem a oferecer a este aprendiz de si mesmo, olhava novamente para sua vida e para minha e o via como um amigo que nunca pude olhar em seus olhos e dizer-lhe obrigado amigo, porque suas quedas e acertos me serviram de alerta.
Observo Chico Xavier e Herculano Pires, o segundo em seu livro Vampirismo chama André Luiz de neófito por descrever ovóides, isso não abala sua amistosa amizade e respeito de anos, pois para eles eram uma critica á André Luiz e não á Chico, ouse fazer uma critica construtiva a um médium da atualidade, e perderá um amigo, pois a maioria dos médiuns, confunde-se com o Espirito, se é que há algum Espirito.
Quando a FEESP lançou uma tradução de o evangelho segundo o espiritismo, que desfigurava-o, seu tradutor Paulo Alves de Godoy , acusava Chico Xavier e Emmanuel por icentivo a tal empreitada, Herculano sai em defesa deles em um triste episódio na historia do espiritismo paulista.
O amigo Chico continua sua jornada agora no mundo espiritual servindo de exemplo de bom médium, não só porque suas faculdades eram limpas, mas porque sabia distinguir o que era seu e era de outrem, e assumia suas responsabilidades ante a vida e o mundo.
Chico homenageio-te não porque preciso ser como você, mas porque almejo compreender o amor e amar como amou...

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Os animais são médiuns, ou possuem mediunidade?

Mamãe durante toda sua vida sonhou ter um papagaio, mas só em sua maturidade pode possuir um...
Este papagaio falava poucas coisas mas tinha algumas atitudes engraçadas como por exemplo:
O nosso vizinho tinha dois cachorros de porte pequeno, fato é que cerca de um ou dois minutos antes de sua chegada com o carro os cachorros começavam a latir para anunciar sua chegada, situação esta assimilada pelo papagaio de mamãe, só que de forma diferente...
O papagaio ante a chegada de meu Pai e de Jorge  meu irmão mais velho a pé na esquina da rua de nosso velha casa , o papagaio reproduzia latidos que parecia imitação de criança dizendo "au, au, au" , entre palavras de "lourinho" e assovios que meu pai dava,  nos causando risos , pois além de papagaio de brinde uma ação de cachorro, e assim foi sempre arrancando nossos risos...
Jorge meu irmão em uma sexta-feira saiu de casa em carro de parentes para o hospital São Luiz Gonzaga no bairro do Jaçana para na quarta feira que se seguiria ele retornaria a nosso mundo de origem, o mundo espiritual, desde da então referida sexta-feira e da sentida ausência de meu irmão o papagaio resolveu silenciar,  e entristecer-se , entre as noticias de meu irmão, o meu amor encarnado em forma de mãe dizia:
-Filho desde que seu irmão foi para o hospital o papagaio esta triste e não mais canta...
E  durante o dia do desencarne de meu irmão fiquei ao lado de meus pais para conforta-los e ampara-los , Papai católico e Mamãe evangélica, e eu espirita, amando e os respeitando-os como sempre , mas estava certo de ele estava bem pois , assim ele me disse no domingo: - Irmãozinho não devo mais voltar ao nosso velho lar, mas devo partir em breve, sinto isso, ore por mim para que eu vá bem e vocês fiquem bem.
Disse-lhe se for a vontade de nosso Pai nós nos dobramos ante a ela...
Entre a ansiedade dos tramites fúnebres estava eu em nossa velha casa, onde ele sentava-se e fumava seu cigarro, sinto-o abraçando-me e dizendo-me:  -Queridíssimo até breve pois sei que te amo e que me amas...
Neste exato momento que o senti seu abraço e em meu coração ouvia suas palavras , o papagaio rompeu o silencio de cinco dias , em sua conhecida atitude festiva de anuncio de sua chegada, os latidos entre o gritar lourinho e seus diversos tipos de assovio...
Naquele momento era a plena certeza. Não era uma possibilidade, era uma confirmação, do que eu ouvira e sentira, foi visto pelo papagaio...
Então eu pergunto o papagaio de Mamãe é médium?
Não. 
Os animais não possuem mediunidade, sendo assim, não são médiuns.
Mas se o fato acima não é demonstração de mediunidade, como então se explica o fato?
Os animais possuem percepções ou sensibilidade ou um sentido espiritual, que permitem perceber a realidade espiritual, mas não possuem mediunidade.
Ser médium não é somente ter faculdade que permitam perceber a realidade espiritual, ele precisa ir além de perceber, ele precisa entender, e além de entender ele precisa interpretar , e mais que interpretar é necessário transmitir um pensamento de origem espiritual a outrem...
O papagaio percebeu e identificou meu irmão e agiu como se o tivesse visto, por isso sabemos o que ele via , mas se visse outro Espirito poderia ter uma reação que não nos conduziria a perceber ou se quer saber,se ele via algo além de nossa percepção...
Para ser médium o animal tem que ter a capacidade de receber, entender e transmitir um pensamento de uma realidade para a outra, pois como define Allan Kardec o médium é o individuo que esta no meio ou entre duas realidades....
E os animais não possuem essa capacidade...
Mas o que não impede ele ser sensível á percepção espiritual...
A falta do entendimento do que é ser médium e o que é possuir mediunidade, que alguns estudantes afoitos podem declarar que animais são médiuns...
Por isso volto afirmar, nós espiritas precisamos ultrapassar do estudo espirita para o entender espirita, do entender o espiritismo para o sentir a ação do espiritismo em nossas vidas, para que nossa vida seja o viver a realidade do espiritismo que é o amor que age.


quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Os Espíritos classificados como obsessores




Entre os escolhos que apresenta a prática do Espiritismo, cumpre se coloque na primeira linha a obsessão, isto é, o domínio que alguns Espíritos logram adquirir sobre certas pessoas. 
Nunca é praticada senão pelos Espíritos inferiores, que procuram dominar. Os bons Espíritos nenhum constrangimento infligem. Aconselham, combatem a influência dos maus e, se não os ouvem, retiram-se.
Os maus, ao contrário, se agarram àqueles de quem podem fazer suas presas. Se chegam a dominar algum, identificam-se com o Espírito deste e o conduzem como se fora verdadeira criança.
A obsessão apresenta caracteres diversos, que é preciso distinguir e que resultam do grau do constrangimento e da natureza dos efeitos que produz. A palavra obsessão é, de certo modo, um termo genérico, pelo qual se designa esta espécie de fenômeno, cujas principais variedades são: a obsessão simples, a fascinação e a subjugação.
 (Allan Kardec- Livro dos Médiuns Capitulo 23)

Quando pensamos em Espíritos que Allan Kardec classificou como obsessores ele pode ser estendido e ou entendido não só como Espíritos propriamente dito, mas também como Espirito encarnado, ou seja,  pessoas ou  como qualquer um, que queira dominar o outro, através da ação insistente e persistente utilizando pensamentos e idéias repetidas que é a chamada de obsessão simples, que na realidade é simples de ser identificada mais pode se revelar complexa ao ser tratada, a obsessão por fascinação iludindo invertendo valores através do convencimento, e a subjugação que é ação imperativa e arbitraria em dar ordem, e esta ordem ser obedecida sem ser questionada, pois o ser ignora a sua capacidade de resistência e sente como que sua vontade estivesse paralisada  tornando-se serviçal de outrem. 

Pensando em profundidade ouso reescrever : é o domínio que alguns Espíritos querem ter sobre outros Espíritos. Para  assim trazemos mais próximos a nós e para nós esses IRMÃOS...

Esses nossos irmãos em muitas vezes em equívocos e enlouquecidos com o ódio, ódio este que nada mais e nada menos é que o amor-posse que enlouqueceu, e que precisa ser novamente conduzido ao amor que liberta e une todos os seres.

Segundo Manoel P. de Miranda o plugue de ligação que permite a ação obsessiva é a CULPA , sendo  necessário o perdão e o auto perdão para desligar-se da ação obsessiva, não existe inocentes, onde existe devedor ali esta o seu cobrador, por isso para libertar-se da ação obsessiva é imprescindível mudar a sintonia, significa mudança de pensamentos e sobretudo a mudança de atitudes, pois palavras convencem exemplos arrastam...

Sobretudo se faz necessário senti-los como irmãos, que é muito diferente das concepções que herdamos das religiões antigas que os colocaram na condição de seres eternamente vinculados e destinados ao mal, que tem como objetivo conduzir-nos ao inferno para que estejamos ao lado deles no suplicio eterno...

Muito dos livros psicografados narram  locais onde por sintonia se localizam esses Espíritos na erraticidade, e como estamos acostumados a  narrativa de inferno de Dante Alighieri e muito usado pelos sacerdotes para manter-nos á rédeas curtas as suas ovelhas, com objetivo de conduzissem seus bolsos e suas almas, ou mesmo para assumir os nossos desvios morais algo muito conveniente para o ser humano, colocar a culpa em outrem.

As reuniões que tratam desses irmãos e que tem o nome de desobsessão, funciona como uma terapia direta, mas auxiliar, pois para que ela atinja o objetivo a que se destina, os indivíduos ligados pelo passado precisam mudar seus pensamentos e atitudes, e para isso precisa vontade de ambos, o que pode ser rápido ou demorado depende de individuo á indivíduo,  não podemos legar a responsabilidade de sucesso e insucesso ao grupo espirita ou médiuns são conquistas dia a dia , passo a passo de um trabalho em conjunto com amor e por amor.

Não existe barreiras para prece, não existe montanhas para fé e não existe nada que o amor não penetre e transforme.

Em nosso dia a dia a prece é o alimento de nosso espirito, a fé é a certeza racional de nosso destino e o amor o irresistível sentimento divino em nós...

Não são obsessores são nossos irmãos equivocados...

Somos todos doentes e necessitados aprendendo a amar, por isso como diz o cantor e compositor  do movimento espirita cearense Tarcisio Lima em sua musica chamada: Ante o crime " Perdoe sempre outras vez onde a voz do crime ecoe , há quem faça o que você já fez, por ser ainda o que você já foi."


Bibliografia:
Allan Kardec : O Livro dos Médiuns Capitulo 23
Manoel Philomeno de Miranda/Divaldo Franco - Nas Fronteiras da Loucura