quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Vencendo o ciúmes


O ciúmes é filho da insegurança e da ilusão de posse…
Porque afirmo isso, pois sofri deste mal por longos anos de minha vida, e esse texto se desenvolvera a partir do que senti, vivi e venci, não significa que é uma formula ou um remédio que ira curar o ciúmes de outrem, mais que poderá ajudar a compreender a causa curando-as...
Durante muitos anos de minha vida fui cego com ciúmes, além da cegueira de enxergar o que realmente esta a sua volta, o ciumento é um indivíduo muito imaginativo, sobretudo criativo.
O indivíduo ciumento ele sofre mais com o que imagina do que com o que vê…
Quando olho para mim mesmo e tento remontar cenas e rever quadros como se fosse um espectador de mim mesmo, olho e chego a uma conclusão sobre mim, "que atitudes ridículas".
No momento em que o ciúmes consumira e destruíra o meu primeiro casamento, uma amiga que fazia a época faculdade de Sociologia em Fortaleza decidira fazer um trabalho em grupo sobre o Budismo, e souberam que Chagdud Tulku Rinpoche, faria uma palestra em Fortaleza, e lembro-me que tinha feito um pedido em prece que gostaria de entender e encontrar a causa de minha dor, e fui aberto para que pudesse obter respostas…
Rinpouche levou-me a uma unica conclusão para cura do mal que assolava minha vida : desapego...
Porque o desapego? Por que tudo que é material é ilusório e impermanente, ou seja, minha condição de Pai é impermanente, minha condição de filho é impermanente, minha condição de esposo é impermanente, minha condição de emprego é impermanente, casa tudo isso o tempo mudam e as circunstancias mudam também.
E levou-me a pensar profundamente sobre essas informações que durante muito falaram ao meu coração mais foi muito difícil trabalhar essa informações transformando-as em atitudes
Por que  foi difícil?
Ao longo dos últimos milênios na Terra recebemos uma educação machista, onde a mulher deveria segundo algumas religiões ser submissa ao marido, ou seja, que obedecesse e service o seu marido, que o homem é a cabeça da casa.
Isso se revela no "meu" " minha ", meu clã, minha mulher , meu filho, minha casa, meu pai, minha mãe.
Expandir tudo isso para a fraternidade é complicado, pois mudamos o ponto de vista para irmandade, até que sua racionalidade se aposse do entendimento novo embora o fato seja antigo, leva tempo, pois precisa sair do entendimento e compreensão para virar atos...
Eu estou Pai de meus filhos ...
Eu estou filho de meus Pais...
Eu estou esposo ou ao lado de uma irmã, uma companheira...
Se conseguirmos transcender a posse teremos dado um grande passo.
Pois entendo que cada ser é único e dono de seus atos, de suas escolhas e que carrega em si um Juiz interior que esta de posse da lei de Deus, ou seja, fomos presenteado pela divindade com livre arbítrio,  um livre juízo , que nos permite escolher, o que é melhor para nós...
Então temos uma companheira ou um companheiro, ao nosso lado, uma pessoa, uma individualidade, não é um bem que adquiri para o meu prazer e desejos, é uma pessoa que escolheu somar ao meu lado, e que achou que eu estar ao seu lado, somariamos para que juntos pudéssemos conquistar a nossas vitórias...
Inserir isso levou tempo e o que chamo de auto doutrinação, pois existe degraus de entendimento, entender isso, sentir isso ao olhar e compartilhar com quem esta ao meu lado e viver isso de forma lucida.
Esse é o grande laboratório chamado família onde somos chamados a através das experiência nos transformar, e transformar é muito diferente e distante de se conformar.
Pois sentir o sentimento de posse pelo marido, ou o esposo sentir o sentimento de posse pela esposa, e se dizer assumidamente ciumento ou ciumenta é se conformar, o que significa estacionar, no aprendizado evolutivo, não é fácil é difícil é um Leão por dia domando em si mesmo, domando as nossas más inclinações...
Mas a causa do ciumes não é somente o sentimento de posse é o sentimento de insegurança, e o sentimento de insegurança esta ligado a falta de conhecimento de si mesmo, pois o individuo inseguro na maioria das vezes é um individuo que não se conhece, por isso se menospreza achando-se inferior em relação ao outrem...
Mas inferior  por que?
Sofremos com a ditadura da mídia que dita padrão ao homem e a mulher, através das atrizes e atores e modelos, o que em um momento é moda o outro e desuso, ao aceitarmos essa influencia nos permitindo que uma pessoas passe a nos ditar como devemos ser, mascaramos quem somos em nome de quem almejamos, e nunca estamos seguros pois buscamos fora o que esta dentro de nós.
O corpo musculoso do homem de 20 anos hoje não será o mesmo depois de 30 anos, as partes femininas valorizada pelos brasileiros ao longo do tempo sofrerá a ação da gravidade...
Tanto o exterior como o interior mudam através do tempo, mas o que permanecesse acrescentando ao individuo é o que ele entende levando-o a sabedoria, ou seja, as aquisições a nível da intelectualidade que o leva ao desenvolvimento, é aquilo que verdadeiramente e o individuo sente, isso é permanente, já o corpo ele é momentâneo, pois se ele poderá levar a viver um pouco mais de um século mais, com sua morte ele ira se desagregar e tornar-se pó, já o espirito volta a sua vida de origem com o que conseguiu somar de conhecimento e sentimento...
Em nenhum momento quero dizer que ir a academia e praticar exercícios físicos é ruim, muito pelo contrario  precisamos cuidar do veiculo de nosso Espirito, que é muito diferente de viver em função do veiculo, pois o veiculo não é o invivido, o individuo é o controlador do veiculo...
Cada um de nós precisamos nos conhecer, pois conhecendo-nos sabemos de nossos reais valores, e é nos reais valores que devemos agregar a nós...
Esse conhecimento de quem somos, nos leva a amar-mo-nos ..
Assim como quando queremos alguém ao nosso lado, o período de namoro, é o período de conhecer quem naquele momento, desejamos que estivesse ao nosso lado, prestamos a atenção na pessoa como ela age, como ela pensa...
Cada um de nós devemos ser um observador de nós mesmos, olhando-nos com o interesse de conquistamo-nos , parar e olhar sobre o que penso e desejo, e refletir e sentir-se...
O que te convido não é ser Narcisista, achando-se a ultima bolacha do pacote e achando que esta cheio de famintos ou famintas me disputando, mas conhecer-se.
Dizem que Michelangelo  olhava o mármore bruto e dizia que por traz daquele mármore existia uma escultura dentro dele que ele precisaria tirar o excesso...
Podemos olhar no espelho e ver uma pedra de mármore, mas devemos entender que existe uma essência divina em nós que precisamos esculpir, ou tirar o desnecessário para revelar. 
Jesus afirmou segundo a narrativa de João  segundo o evangelho que leva seu nome: "Deus é amor."
Segundo narra a Gênese de Moisés que fomos feito a "imagem e semelhança " de Deus, isso não que dizer que foi o corpo, se Deus é amor, somos amor em essência e este amor precisa se despir do egoismo, ou do ego para chegar ao seu "self" de Jung, que é a sua essência.
Mas é só o egoismo?
O egoismo é a causa de todo o nosso sofrimento...
Pois ele é o pai de todas as nossas dificuldades, para conosco e para com os outros.
Pois o individuo que se ama ele não obriga que as pessoas fiquem ao lado, se ficam, ficam  por opção, não por dó, ou por obrigação ou porque sente-se dono do outro, pois quem se ama gosta da liberdade e do sentir-se livre, e  por prezar este sentimento ele não deseja possuir, ele deseja sentir...
Só quem ama os pássaros sabe compreender que eles cantam ao mundo com alegria e beleza quando estão soltos na natureza...
Só que teve o prazer de viver com Bem Te Vi solto sabe que em dias de chuva ele canta pelas manhãs em louvor e gratidão a chuva que vira durante o dia .
Tive o prazer de crescer no pé da Serra da Cantareira e o Bem Ti Vi cantava e mamãe dizia: "vai chover e o Bem Ti Vi canta louvando a Deus pela chuva " e quando chovia ela dizia sempre "viu meu filho depois da chuva ele canta de novo"  dizendo: "Bem que eu disse, bem que eu disse."
Eu disse certa vez : Mamãe vou fazer uma arapuca e pegar um pra ficar em casa e cantar...
Desencorajando-me ela disse : " Meu filho Deus o criou para que ele fosse livre e louvasse a Deus pela benção da chuva, se o prender além de não cantar, porque ficará triste,  morrerá porque deixará de comer."
E assim cresci vendo uma flor de plastico com água para que pudéssemos ver beija flor, banana fincada em um galho do pinheiro no quintal para ver o sanhaço, e quireras no chão para os pardais e rolinhas , nos visitar quando quisessem e voltar para suas vidas na natureza.
Que tem haver o Bem Te Vi , com o ciumes?
Uma vez já no final do meu primeiro relacionamento com a companheira de então disse-me: " Você quer me aprisionar em uma gaiola , e eu sou como um pássaro  preciso ser livre ou sufoco e morro, não fisicamente mais em minha individualidade."
Aquilo retiniu milhares de vezes na acústica de minha alma, tão grande que o fato de eu não aceitar a liberdade de outrem ao meu lado eu decidi liberta-la de viver ao meu lado, pois estava engaiolando-a.
Isso não foi vencer o ciumes, foi compreender sua nefasta ação na vida da outra pessoa que deveria estar somando comigo.
E durante algum tempo fechei para os relacionamentos para vencer o ciumes , e foi uma grande decepção para mim, e ainda é no sentido de até hoje minha atual esposa sustentar que menti para ela, pois uma coisa que afirmei para ela é que tinha vencido o ciumes...
E não tinha!
Mas o fato era que até eu relacionar-me com ela, eu não tinha me permitido abrir meu interior para uma relação, pois não me compromissava,
Então eu não tinha vencido o ciumes, eu tinha mentido para mim mesmo...
Só que ela foi muito categórica e travou uma luta que aparentemente era contra mim, mas que era em meu favor...
Quando nós chegamos a vida de alguém nós entramos no meio de uma historia e trajetória de vida, assim como a pessoa que soma a nós...
Sendo assim não somos hoje o primeiro namorado e uma pessoa, poderemos talvez ser o ultimo desta existência se caminharmos juntos até o fim desta existência  mas isso não compreende pela eternidade, pois podemos mudar o papel para que depuremos o amor um pelo outro, vindo como irmãos ou como pai e filhos.
Como disse Chico Xavier " ninguém pode voltar atrás e fazer um novo começo, mas podemos começar agora e fazer um novo fim".
Por mais que tenha um inicio de vida a dois, existe sempre uma bagagem que carregamos..
Relacionamento partem e ou  alicerça-se na confiança, ou qualquer chuvinha derruba a construção.
Confiança no outro e em si , confiança e segurança caminham juntas.
Eu não pertenço a ninguém...
Ninguém pertence a mim...
Somos pessoas livres...
E o fato de ela se impor como pessoa, e saber sobre seus valores , não permitia e mostrava-me que não dava vazão para desconfiança e a guerra entre mim era travada.
O confronto era do que eu sabia com o que eu fazia, eu sabia que não era dono mas agia como se fosse..
Até que a vida levou-me para uma viagem que colocou nossos corpos distantes, mas sempre junto esteve nosso sentimento, desejo e planos, pois eram e são sólido e ai eu descobri que tinha realmente vencido o ciumes...
Pois estava alegremente tentando e lutando para por em pratica nossos planos, sem ficar com pensamentos , se ela estava ou não me traindo, se ela ia conhecer outra pessoa melhor do que eu.
E na pratica eu descobri quão bom e lindo é o canto do Bem Ti Vi que é livre na natureza que canta em louvor da vida que fecunda o solo em forma de chuva.
Quão bom é o amor, que ama despretensiosamente...
Pois ele põe aliança não no dedo anelar, mas no coração...

15 comentários:

  1. Parabéns pela maneira digna com que você aborda fatos de sua intimidade. Exemplos pessoais são sempre mais facilmente assimilados do que a tentativa de esclarecimento puramente racional. Um abraço!

    ResponderExcluir
  2. PASSEI, VI,LI E GOSTEI MUITO DESTE BLOG, PARABENS PELO CONTEÚDO...

    CONFIABILIDADE E SEGURANÇA

    Doa a quem doer, concretamente,
    a verdade precisa ser dita...
    A mentira é o princípio da falsidade;
    E a falsidade é o campo magnetizado
    da desinteligência,
    que leva ao abismo da traição,
    da devassidão, da infidelidade...
    Sem sombras de dúvidas,
    são nos caminhos da fé e da verdade,
    que alcançaremos
    a luz viva da supremacia divina...
    Contudo:- Necessitamos afastarmo-nos
    das atitudes maléficas e desleais...
    Busquemos uma (in)determinada trilha;
    Desde que ela seja justa e correta;
    Para eternizarmos o amor e a vida...
    É fato! Somente o verdadeiro amor
    nos concede a tutela antecipada
    da boa aventurança e da perseverança
    com o máximo de confiabilidade e segurança...

    Autor: Manoel Carlos Alves
    Copyright do desenho e dos textos By Manoel Carlos Alves.

    Gostou deste blog, siga-o: http://inkdesignerstampas.blogspot.com.br/
    Minha página no facebook: https://www.facebook.com/MANOALVES2008
    Minha página no twitter: http://twitter.com/manoalves2008
    Gostou deste blog, siga-o: http://inkdesignerstampas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Alô Kardeciano,Grupos C.E,estar aqui,através do Aurora.
    Todos sabem que o grupo c.e, só segue no espiritismo aqui no RJ,aqueles que levam a sério nossa doutrina e Kardeciano se incluir nesses por sua seriedade e vivência em seus textos...
    Lindo Kardeciano!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz por esse leitura doutrinaria de meu blog.
      E sobretudo por poder somar aos que divulgam a doutrina dos Espíritos.
      Que o amor norteie nossas vidas sempre.

      Excluir
  4. Vi este texto do nada, sem querer. Mas nada é por acaso. Sou ciumenta, insegura e imatura. Me relacionei com uma pessoa 18 anos mais velha que eu e hoje faz dois dias que terminamos nosso relacionamento. Meu caso é diferente do seu, mas essas sensações que vc sentia eu também sinto e me envergonho... É uma luta muito grande, sei que não vou tê-la novamente, afinal, ela nunca me amou, isso sempre ficou claro, mas minhas atitudes destruiram um gostar que vinha crescendo, e com a convivência dia-a-dia, foi mais perceptível. Sinto-me perdida, arrependida, traída verdadeiramente por mim mesma.
    Ótimo texto, parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Admiro sua coragem...
      O primeiro passo para a cura de nossa alma é admitir-se doente.
      O segundo passo é querer a cura...
      Os outros passos estão em dominar nosso pensamento pela força de nossa vontade.
      "Educa o teu pensamento e conquistarás a ti mesmo" Emmanuel/Chico Xavier

      Excluir
  5. Olá Ricardo. Gostei imenso do teu blogue. Aprendi imenso e ver ser leitora assídua pois sou um aprendiz da doutrina Espírita e vivo no Porto, Portugal. Também criei um blogue para partilhar com todos os que sintam o chamamento da alma como eu estou sentindo, os seus SONHOS, tudo o que queremos ser, indo ao encontro da nossa essência. Faço-lhe o convite para me visitar e comentar. Obrigado. Sucesso e parabéns por um trabalho tão espetacular em prole do próximo. Bem haja. Beijinho. Deixo aqui o link:http://viverossonhos3.blogspot.pt/
    Isa

    ResponderExcluir
  6. Parabéns! Muito bom o texto. Ainda na luta contra essa paixão, tão difícil de ser superada. Seu exemplo é um inspiração, obrigada por compartilhar em palavras seus sentimentos e experiências.

    ResponderExcluir
  7. São árduas lutas de uma imensa gerra contra nós e o que nos faz mal, depois de vencida é a sensação vitória é leveza que nosso espirito adquire é inenarrável.
    Um grande presente que este blog me proporciona é isso romper as barreiras do espaço e matéria e chegar aos corações e seu comentário é que me inspira escrever.
    Que o amor seja o sol de sua vida iluminando de aquecendo suas relações interpessoais.

    ResponderExcluir
  8. Olá, pesquisando na internet sobre um assunto e encontrei outro, outro que realmente agregou o meu conhecimento. Agradeço-o por compartilhar a sua experiência e a vitória sobre o ciúme, eu ainda sofre com isso, perturbando constantemente o meu pensamento, mas ao ler o seu texto, percebi que não possuí uma fórmula mágica que fará da noite para o dia de deixarmos de sermos ciumentos.
    Percebo que pelo menos para algariar com êxito fazem parte: pensamento positivo, oração e perseverança, porque ainda somos controlados pelo egoísmo que está encravado em nosso espírito. Mais uma vez obrigada!

    ResponderExcluir
  9. Excelente análise sobre o ciúme. Te parabenizo Ricardo.

    ResponderExcluir
  10. Que lindo texto! Estou vivendo uma situação semelhante, pois estou em um relacionamento à distância e a insegurança, o ciúmes (até do passado) me sufocam. Ouvi há duas semanas atrás a respeito de perder a individualidade, que o meu parceiro, por mais paciente que seja, disse que não queria perder a identidade. Após duas semanas de sofrimento e brigas intensas, ontem comecei a amadurecer alguns pontos em mim que me mostraram o quanto estou sendo ridículo, imaturo e egoísta e, lutando para acabar o que não quero que acabe.
    Passei 6 anos sozinho por não acreditar mais nas pessoas, mesmo não sendo traído, mas descobrido que a pessoas que me relacionara (e havia terminado há mais ee um ano) estava com outra há 7 meses e não tinha me contado. Me senti traído, pois passava por uma situação familiar delicada e estava fragilizado demais e reavaliando uma possível volta entre nós. Quando resolvi me reaproximar, recebi a notícia e demorei mais um ano quase para esquecer tudo.
    Está sendo difícil esta nova relação, com menos de 4 meses mostrei o que menos gosto em mim e estou com alguém esperto o bastante para "desnudar" minhas fraquezas. Descobriu logo meu coração ferido, minhas mágoas do passado e minha insegurança = posse e ciúmes.
    Mas ontem, depois de reflexões e ter ido depois de mais de um ano quase a uma casa espírita, acabei por fazer florescer esta nova consciência e postura e busco minha força no meu anjo guardião e em Jesus para vencer toda essa batalha.
    E ontem pensei justamente isso, que ninguém é de ninguém, que ninguém é obrigado à amar alguém para sempre, que não posso determinar o tempo que o outro ficará comigo ou controlar tudo (como ele mesmo diz, que quero controlar cada ponto da vida dele...rss).
    Que amor deve ser livre e o outro escolhe a quem amar e se quer amar. Cabe a mim, receber este amor se puder devolvê-lo também por livre escolha minha.

    É muito bom saber que não estamos sozinhos! Sei que tudo na vida é aprendizado e não foi à toa que no meu caminho apareceu alguém que está há dois mil quilômetros de distância para que pudesse trabalhar estes pontos meus que são falhos. E sei que se namorasse com alguém que morasse há 100 metros e minha casa, o meu comportamento seria o mesmo.

    Mas com fé em Deus vou evoluir. Estamos aqui para isso, não é verdade?

    Parabéns Ricardo! Um texto que toca a alma. E você contando a história do beija-flor me senti emocionado, pois é assim que deve ser a vida! E é assim que quero que se sinta o meu parceiro, como o beija-flor, até o momento que nos for permitido e que decidirmos compartilhar nossas vidas!

    Abraços e paz a todos os corações!

    ResponderExcluir