sexta-feira, 12 de julho de 2013

O endereço de Jesus

41 Então dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos;
Evangelho Segundo Mateus capitulo 25.


Muita gente quando pensa em encontrar Jesus, pensa logo em frequentar ou ir a algum templo religioso onde possa através do louvor,  a oração e da adoração encontrar Jesus, não contestamos, e até consideramos que neste lugar é que deveria sentir sua presença e encontrar o endereço para encontra-lo, dialogar e estabelecer o seu reino aqui na Terra, e não no Céu além das percepções humanas.
O que me marca na passagem de Jesus aqui nesta abençoada escola chamada Terra, não foi o seu sacrifício na cruz, no Gólgota, mas sua vida, onde o amor foi a bussola das relações interpessoais, onde a proposta de vida onde o Amor fosse o Sol na vida de seus seguidores, estimulando e aquecendo os corações, para que este amor dê vida e com abundancia, assim como o sol estimula a vida dos seres vivos.
Na fala de Jesus reproduzida por Mateus vemos a Caridade que é o amor em ação, sendo a balança ou Juiz que chamamos de consciência, a nos aprovar ou reprovar.
Assim sendo o Evangelho de Jesus ou trazido ou interpretado por Jesus, para que nós nos apropriássemos  dele nos remete para fora dos templos de pedra , nos conduz ao templo do coração.
O sublime convite ao evangelho não se restringe a levantar a mão ou dar um passo, ou praticar um rito de iniciação, é um convite para arregaçar as mangas e colocar as mãos na obra do Cristo com o Cristo.
De que forma introjetando o amor em nossas vidas em primeiro lugar ensinando-nos a amarmo-nos, e expandindo este amor de forma altruísta, a principio dentro de nosso lar e depois saindo fora dele e descobrindo todos os seres como irmãos.
Jesus traz uma proposta para uma nova sociedade, não só para uma comunidade religiosa, esta proposta não é de tornar os seres humanos adeptos de uma religião, mas de uma proposta de vida onde pessoas sintam o outro como igual, que considere e respeite o outro como igual.
A Boa Nova diz: : Alimentar a fome, saciar a sede e dar hospedagem, dar uma roupa para quem não tem, visitar criminosos na prisão. Em nenhum momento presenciamos na mensagem de Jesus ou encontramos a recomendação para que julgássemos, ou que nós condenássemos o que fez estas pessoas para que estivesses em posição de auxilio e a disposição e a espera de nosso amor.
Promover isso é assumir a nossa função social.
De que forma assumir a nossa função social?
É fazer dos templos Polos de Educação, Cultura, Lazer, Saúde, onde correntes de afins juntem-se descruze os braços, pois é muito fácil cobrar o governo sentado em nosso sofá.
Dedicar nosso tempo em obras que mudem o meio social onde esta localizado os Templos, para que o templo de amor habite o mundo, pois só assim o reino de nosso Pai vem a nós.
Pois o reino do Pai é amor, pois assim declarou Jesus e narrou João Evangelista no menor e maior versículo da Bíblia ao dizer :
" Deus é amor."
E no amor encontramos Deus. 
Nos encontramos no amor até breve.


quarta-feira, 10 de julho de 2013

Nosso até breve á: Hermínio Correa de Miranda



Foi com surpresa que li o link do Correio Fraterno postado por amigos no Facebook, colocando-nos a par do desencarne de tão valoroso companheiro e colaborador do movimento espirita brasileiro.
Hermínio Correa de Miranda deixa um imenso tesouro para história e para o pensamento espirita, com suas obras de conteúdo impar.
Para todo espirita que não pretende ficar somente na superfície do conhecimento espirita, mas pretende mergulhar no tão vasto assunto chamado mediunidade, é impossuível ignorar Allan Kardec e Hermínio Correa de Miranda.
Hermínio não só releu Kardec, ele utilizou-se dos mesmos métodos, e ao seguir seus passos nos ofereceu livros valiosíssimos que somam a Kardec, de forma que não é mera repetição ou uma diferente interpretação.
Quando nos debruçamos em Diversidades dos Carismas, vemos que Hermínio segue a divisão das faculdades como Kardec expande-o facilitando e dilatando o nosso conhecimento, sobre a percepção e entendimento das faculdades de nossa alma ou os chamados fenômenos anímicos, e nos leva a grande viagem de entendimento a mediunidade.
Embora meus olhos nunca terem cruzados os seus, nem meus ouvidos tenham sido impressionados pelo som de sua voz, minha vida foi permeada pelos seus pensamentos e palavras escritas.
Quantas aulas sobre mediunidade se fundamentaram em Kardec e Herminio, quantas palestras ou respostas em palestras e até nosso artigo "Ser Médium" é nitidade e patente sua influencia, assim como Emmanuel.
Quantos diálogos  travados com Espíritos endurecidos na vingança, seja na Casa Espirita sob a proteção dos benfeitores da instituição ou na residencia de doentes da alma, nossos diálogos se fundamentaram em "Dialogos com as Sombras.".
Quantas vezes recorri em seu livro a "Memória e o Tempo" para explicar e ensinar sobre a memória e sobre o tempo.
Hermínio foi aquele professor que nunca consegui abraçar e olhar em seus olhos e dizer-lhe muito obrigado, pois seu estudo acrescentou e colaborou ao meu estudo, sua vida influenciou positivamente para que influenciasse em outras vidas que conheci e diretamente participei, e assim como você  indiretamente.
Um dia destes este aluno se aproximará da escrita deste professor que admiro e estimo.
Não choro, pois sei que os frutos abençoados que plantou, e que somente agora descobriu o que  plantou, plantou em minha vida, e em muitas vidas e  agora colhe.
Sei que enquanto construo minha singela homenagem de um grato coração, este carinho encontra o seu.
Guardo a certeza que lucido quanto a vida que levou até sua partida, olha a distancia as luzes de nosso grato coração que te admira.
Bem aventurado é, pois semeaste, agora saboreie os frutos oferecidos por gratos corações.
Até breve amigo, irmão!
Receba nosso carinho em forma de gratidão!